As novíssimas Paula Pi e Paula Coser se apresentam no Dança Pra Cacilda

05 a 09 de setembro

Marcelo Braga (Rio de Janeiro)

Dançarino e coreógrafo, pharmacy iniciou seus estudos na Escola da Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes (Belo Horizonte/MG). Com o Atelier de Coreografia, vem se apresentando nos principais teatros do país e em diversos festivais no Brasil e exterior, sempre com sucesso de público e da crítica especializada.

 O Homem Vermelho
55min. 14 anos
Sex, 07 de setembro, às 15h- sessão educativa. Às 20h, R$10 reais (5 meia)
Sab, 08 de setembro, às 20h. R$10 reais (5 meia)
Dom, 09 de setembro, às 19h. R$10 reais (5 meia)
Histórias que um corpo transporta e suas formas de comunicação são as questões trazidas neste solo, que conta com a colaboração dramatúrgica da atriz Simone Spoladore e da artista visual Laura Erber, o olhar sensível em imagens do cineasta Walter Carvalho, trilha sonora do músico Domenico Lancellotti e assistência de direção da bailarina Laura Samy.

Ficha técnica
Criação, atuação, movimento, texto, luz, figurino, espaço cênico: Marcelo Braga. Assistente de criação e movimento: Laura Samy. Colaboração dramatúrgica: Simone Spoladore e Laura Erber. Direção de imagem: Walter Carvalho. Imagem: Ding Musa. Edição: Leonardo Gudel. Trilha original: Domenico Lancellotti. Baixo acústico e elétrico: Alberto Continentino. Guitarras: Pedro Sá. Bateria, voz, percussão: Domenico Lancellotti. Gravação e mixagem: Igor Ferreira – estúdio jimo/RJ. Instrumento sonoro: Michel Groisman. Máscaras: Marina Vergara. Designer gráfico: Roberto Unterladstaetter. Fotos e imagem olho/cinema: Renato Mangolin. Poesia do leite: Christophe Tarkos. Operação de luz: Jon Thomaz. Sonoplastia: Thiago Tafuri. Confecção figurino: Lúcia Lima. Cenotécnico: Edvaldo Custódio. Contra regra: Mickael Veloso.Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti. Realização: Casulo produções

OFICINA

05 a 06 de setembro

CORPOS MADUROS

05 e 06 de setembro- 10h às 12h

Esta oficina é destinada à investigação do corpo e do tempo. Revisitar, recontar e produzir novas formas de comunicação através da troca de experiências de estruturas físicas maduras, criando jogos dançantes e narrativos com o uso da voz, corpo e espaço. Um diálogo entre potências e fragilidades…

Público alvo: terceira idade

CONVERSAS PÚBLICAS

05 de setembro àS 20H- Sofá da Cacilda– No útlimo Sofá da Cacilda faremos uma balanço da nossa ocupação, discutiremos sobre o processo e teremos muitas surpresas também.

 
05 a 09 de setembro

Marcelo Braga (Rio de Janeiro)

Dançarino e coreógrafo, pharmacy iniciou seus estudos na Escola da Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes (Belo Horizonte/MG). Com o Atelier de Coreografia, vem se apresentando nos principais teatros do país e em diversos festivais no Brasil e exterior, sempre com sucesso de público e da crítica especializada.

 O Homem Vermelho
55min. 14 anos
Sex, 07 de setembro, às 15h- sessão educativa. Às 20h, R$10 reais (5 meia)
Sab, 08 de setembro, às 20h. R$10 reais (5 meia)
Dom, 09 de setembro, às 19h. R$10 reais (5 meia)
Histórias que um corpo transporta e suas formas de comunicação são as questões trazidas neste solo, que conta com a colaboração dramatúrgica da atriz Simone Spoladore e da artista visual Laura Erber, o olhar sensível em imagens do cineasta Walter Carvalho, trilha sonora do músico Domenico Lancellotti e assistência de direção da bailarina Laura Samy.

Ficha técnica
Criação, atuação, movimento, texto, luz, figurino, espaço cênico: Marcelo Braga. Assistente de criação e movimento: Laura Samy. Colaboração dramatúrgica: Simone Spoladore e Laura Erber. Direção de imagem: Walter Carvalho. Imagem: Ding Musa. Edição: Leonardo Gudel. Trilha original: Domenico Lancellotti. Baixo acústico e elétrico: Alberto Continentino. Guitarras: Pedro Sá. Bateria, voz, percussão: Domenico Lancellotti. Gravação e mixagem: Igor Ferreira – estúdio jimo/RJ. Instrumento sonoro: Michel Groisman. Máscaras: Marina Vergara. Designer gráfico: Roberto Unterladstaetter. Fotos e imagem olho/cinema: Renato Mangolin. Poesia do leite: Christophe Tarkos. Operação de luz: Jon Thomaz. Sonoplastia: Thiago Tafuri. Confecção figurino: Lúcia Lima. Cenotécnico: Edvaldo Custódio. Contra regra: Mickael Veloso.Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti. Realização: Casulo produções

OFICINA

05 a 06 de setembro

CORPOS MADUROS

05 e 06 de setembro- 10h às 12h

Esta oficina é destinada à investigação do corpo e do tempo. Revisitar, recontar e produzir novas formas de comunicação através da troca de experiências de estruturas físicas maduras, criando jogos dançantes e narrativos com o uso da voz, corpo e espaço. Um diálogo entre potências e fragilidades…

Público alvo: terceira idade

CONVERSAS PÚBLICAS

05 de setembro àS 20H- Sofá da Cacilda– No útlimo Sofá da Cacilda faremos uma balanço da nossa ocupação, discutiremos sobre o processo e teremos muitas surpresas também.

 

Monica da Costa e Rodrigo Rivera estarão na ocupação do Dança Pra Cacilda de de 1° a 5 de agosto, sick fazendo parte do projeto “Novíssimos”

Rodrigo Rivera apresenta o espetáculo “Número 5” e, salve na sequencia, Monica da Costa mostra “Corpo D’água”.

Desde abril, o projeto de ocupação artística Dança pra Cacilda vem abrindo oportunidades para os novíssimos criadores das artes cênicas do Rio. O programa é composto por estudantes universitários, coletivos e grupos em fase de profissionalização.

O trabalho do coreógrafo e bailarino Rodrigo Rivera busca a fragmentação do corpo e do movimento de forma a envolver a energia e potencialidade que surgem do intimo de uma respiração. Em “Número5”,  o artista procura mostrar através da performance que se perder pode ser a oportunidade de achar seu próprio caminho.

Rodrigo Rivera é graduando do curso de Bacharelado em Dança pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ, e integrante da Cia Universo Paralelo – Núcleo de Pesquisa em Dança contemporânea da UFRJ.

 Mônica da Costa se apresenta em “Corpo D’agua”, um espetáculo de dança afro-contemporânea, que se inspira na água como universo poético e mítico. É água enquanto elemento que toma corpo e corpo que se torna elemento.

Monica da Costa foi graduanda em Dança pela UFRJ e é Doutoranda em Artes Cênicas na UNIRIO. Desde 2008 vem construindo trabalho autoral com pesquisa de Danças e Performances de motriz africana e afro-brasileira, em parceria com o Diretor de Teatro Renato Santos. Corpo Dágua foi o primeiro trabalho autoral, criado em 2009, e remontado em 2010 em parceria com o musico Sergio Arriola.

Os espetáculos serão apresentados em sequência e as sessões acontecem sexta, dia 03, às 15h e às 20h; sábado, dia 04, às 20h e domingo, dia 05, às 19h.

A entrada é franca.

 

 

PROGRAMAÇÃO
De 1° a 5 de agosto

CONVERSAS PÚBLICAS

Políticas do Corpo: “Arte, Dança e Saúde”, com Paula Gorini, Carla Strachmann, Julio Vertzman, Teresa Taquechel e Beth Caetano
Dia: 1° de agosto (quarta-feira)
Horário: 20h
Entrada franca.

ESPETÁCULOS

Número 5
Concepção: Rodrigo Rivera
Duração: 13min.
Corpo D’agua

Concepção: Mônica da Costa
Duração: 35min.

Dias:
3 de agosto (sábado) às 15h e às 20h
4 de agosto (sábado), às 20h
5 de agosto (domingo), às 19h
Classificação etária: livre

Entrada Franca
05 a 09 de setembro

Marcelo Braga (Rio de Janeiro)

Dançarino e coreógrafo, pharmacy iniciou seus estudos na Escola da Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes (Belo Horizonte/MG). Com o Atelier de Coreografia, vem se apresentando nos principais teatros do país e em diversos festivais no Brasil e exterior, sempre com sucesso de público e da crítica especializada.

 O Homem Vermelho
55min. 14 anos
Sex, 07 de setembro, às 15h- sessão educativa. Às 20h, R$10 reais (5 meia)
Sab, 08 de setembro, às 20h. R$10 reais (5 meia)
Dom, 09 de setembro, às 19h. R$10 reais (5 meia)
Histórias que um corpo transporta e suas formas de comunicação são as questões trazidas neste solo, que conta com a colaboração dramatúrgica da atriz Simone Spoladore e da artista visual Laura Erber, o olhar sensível em imagens do cineasta Walter Carvalho, trilha sonora do músico Domenico Lancellotti e assistência de direção da bailarina Laura Samy.

Ficha técnica
Criação, atuação, movimento, texto, luz, figurino, espaço cênico: Marcelo Braga. Assistente de criação e movimento: Laura Samy. Colaboração dramatúrgica: Simone Spoladore e Laura Erber. Direção de imagem: Walter Carvalho. Imagem: Ding Musa. Edição: Leonardo Gudel. Trilha original: Domenico Lancellotti. Baixo acústico e elétrico: Alberto Continentino. Guitarras: Pedro Sá. Bateria, voz, percussão: Domenico Lancellotti. Gravação e mixagem: Igor Ferreira – estúdio jimo/RJ. Instrumento sonoro: Michel Groisman. Máscaras: Marina Vergara. Designer gráfico: Roberto Unterladstaetter. Fotos e imagem olho/cinema: Renato Mangolin. Poesia do leite: Christophe Tarkos. Operação de luz: Jon Thomaz. Sonoplastia: Thiago Tafuri. Confecção figurino: Lúcia Lima. Cenotécnico: Edvaldo Custódio. Contra regra: Mickael Veloso.Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti. Realização: Casulo produções

OFICINA

05 a 06 de setembro

CORPOS MADUROS

05 e 06 de setembro- 10h às 12h

Esta oficina é destinada à investigação do corpo e do tempo. Revisitar, recontar e produzir novas formas de comunicação através da troca de experiências de estruturas físicas maduras, criando jogos dançantes e narrativos com o uso da voz, corpo e espaço. Um diálogo entre potências e fragilidades…

Público alvo: terceira idade

CONVERSAS PÚBLICAS

05 de setembro àS 20H- Sofá da Cacilda– No útlimo Sofá da Cacilda faremos uma balanço da nossa ocupação, discutiremos sobre o processo e teremos muitas surpresas também.

 

Monica da Costa e Rodrigo Rivera estarão na ocupação do Dança Pra Cacilda de de 1° a 5 de agosto, sick fazendo parte do projeto “Novíssimos”

Rodrigo Rivera apresenta o espetáculo “Número 5” e, salve na sequencia, Monica da Costa mostra “Corpo D’água”.

Desde abril, o projeto de ocupação artística Dança pra Cacilda vem abrindo oportunidades para os novíssimos criadores das artes cênicas do Rio. O programa é composto por estudantes universitários, coletivos e grupos em fase de profissionalização.

O trabalho do coreógrafo e bailarino Rodrigo Rivera busca a fragmentação do corpo e do movimento de forma a envolver a energia e potencialidade que surgem do intimo de uma respiração. Em “Número5”,  o artista procura mostrar através da performance que se perder pode ser a oportunidade de achar seu próprio caminho.

Rodrigo Rivera é graduando do curso de Bacharelado em Dança pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ, e integrante da Cia Universo Paralelo – Núcleo de Pesquisa em Dança contemporânea da UFRJ.

 Mônica da Costa se apresenta em “Corpo D’agua”, um espetáculo de dança afro-contemporânea, que se inspira na água como universo poético e mítico. É água enquanto elemento que toma corpo e corpo que se torna elemento.

Monica da Costa foi graduanda em Dança pela UFRJ e é Doutoranda em Artes Cênicas na UNIRIO. Desde 2008 vem construindo trabalho autoral com pesquisa de Danças e Performances de motriz africana e afro-brasileira, em parceria com o Diretor de Teatro Renato Santos. Corpo Dágua foi o primeiro trabalho autoral, criado em 2009, e remontado em 2010 em parceria com o musico Sergio Arriola.

Os espetáculos serão apresentados em sequência e as sessões acontecem sexta, dia 03, às 15h e às 20h; sábado, dia 04, às 20h e domingo, dia 05, às 19h.

A entrada é franca.

 

 

PROGRAMAÇÃO
De 1° a 5 de agosto

CONVERSAS PÚBLICAS

Políticas do Corpo: “Arte, Dança e Saúde”, com Paula Gorini, Carla Strachmann, Julio Vertzman, Teresa Taquechel e Beth Caetano
Dia: 1° de agosto (quarta-feira)
Horário: 20h
Entrada franca.

ESPETÁCULOS

Número 5
Concepção: Rodrigo Rivera
Duração: 13min.
Corpo D’agua

Concepção: Mônica da Costa
Duração: 35min.

Dias:
3 de agosto (sábado) às 15h e às 20h
4 de agosto (sábado), às 20h
5 de agosto (domingo), às 19h
Classificação etária: livre

Entrada Franca
O Projeto Cênica Corporal UMA  estará no Rio de Janeiro entre os dias 08 e 12 de agosto, visit this com uma agenda intensa de bate papos, mind performances e oficinas!

A oficina CONVIVÊNCIAS  propõe um espaço onde será alimentado a experiência do conviver entre pessoas de diferentes fisicalidades e conhecimentos.  A ideia é o encontro entre os colaboradores do Projeto Circular, a comunidade artística e o público em geral, das cidades de Belém, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto alegre, no período de permanência, nessas cidades, da equipe do Projeto.

Na segunda semana de agosto eles estarão no Rio de Janeiro.Venham participar deste intensivo regime de oficina, que trará influências do Norte do nosso país, a experiência de ser um projeto de circulação e a facilidade de acesso ao cariocas, pois será ministrada bem no Largo do Machado, no Tetaro Cacilda Becker!!

A convivência será baseada na Pesquisa Cênica Corporal Uma, que é uma síntese de estudos e experimentações que o artista independente Francisco Rider vem desenvolvendo nos últimos vinte e seis anos, em busca de uma linguagem cênica contemporânea que atravesse elementos da performance art, improvisação como uma arte de performance, teatro físico, abordagens somáticas, práticas corporais alternativas, com uma visão holística do ser artista humano.

Tem como referencial teórico e prático: o contact improvisation, o teatro físico, a improvisação, o movimento autêntico e a dança pós-moderna norte-americana; e as abordagens somáticas: Yoga, Body-Mind Centering e Klein Technique.

A proposta é despertar o corpo artista para redescobrir a sua totalidade, e desestabilizar as dicotomias corpo/mente; feio/bonito; ativo/passivo; sujeito/objeto, entre outras.

Em 2007 a pesquisa foi premiada com o Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2007, e foi desenvolvida, em forma de oficina de processos criativos, na cidade de Manaus durante sete meses, com encontros diários.

A oficina teve como participantes os intérpretes criadores Agnaldo Martins e Damares Darc, entre outros, selecionados, a nível nacional, para participarem da residência artística Colaboratório 2010, organizada pelo Panorama Rio de Dança e Núcleo do Dirceu.

Além desses resultados, o Projeto Uma foi aplicado em forma de oficinas e workshops em festivais e espaços de dança e teatro como Célia Gouvêa Grupo de Dança (SP), Espaço de Dança Patrícia Awapara (Lima-Perú), Teatro Experimental do Sesc dirigido pelo escritor e dramaturgo Márcio Souza (Manaus-Am), Espaço Alternativo Pombal (Manaus-Am), Festival Internacional da Nueva Danza (Lima-Perú) e III Festival de Teatro da Amazônia (Manaus-Am).

Público alvo: artistas visuais, atores, cantores, dançarinos de dança de rua, intérpretes das artes cênicas, performers e público em geral interessados em experimentação e investigação artística .

Mínimo um ano de experiência em qualquer linguagem artística e maiores de 16 anos.

Capacidade: máximo vinte pessoas

Horários:

Dias 08, 09 e 10 de agosto, Horário: 10h30 às 13h

Dias 11 e 12 de agosto, Horário: 14h30 às 17h

A oficina é GRATUITA!

Local: Teatro Cacilda Becker. Rua do Catete, 338 (ao final da galeria)

INSCRIÇÕES:

Basta mandar uma email para Ana Bastos: formacao.cacilda@panoramafestival.com

Inscrições até dia 05 de agosto!!!

Não percam essa oportunidade!!!

 

 
05 a 09 de setembro

Marcelo Braga (Rio de Janeiro)

Dançarino e coreógrafo, pharmacy iniciou seus estudos na Escola da Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes (Belo Horizonte/MG). Com o Atelier de Coreografia, vem se apresentando nos principais teatros do país e em diversos festivais no Brasil e exterior, sempre com sucesso de público e da crítica especializada.

 O Homem Vermelho
55min. 14 anos
Sex, 07 de setembro, às 15h- sessão educativa. Às 20h, R$10 reais (5 meia)
Sab, 08 de setembro, às 20h. R$10 reais (5 meia)
Dom, 09 de setembro, às 19h. R$10 reais (5 meia)
Histórias que um corpo transporta e suas formas de comunicação são as questões trazidas neste solo, que conta com a colaboração dramatúrgica da atriz Simone Spoladore e da artista visual Laura Erber, o olhar sensível em imagens do cineasta Walter Carvalho, trilha sonora do músico Domenico Lancellotti e assistência de direção da bailarina Laura Samy.

Ficha técnica
Criação, atuação, movimento, texto, luz, figurino, espaço cênico: Marcelo Braga. Assistente de criação e movimento: Laura Samy. Colaboração dramatúrgica: Simone Spoladore e Laura Erber. Direção de imagem: Walter Carvalho. Imagem: Ding Musa. Edição: Leonardo Gudel. Trilha original: Domenico Lancellotti. Baixo acústico e elétrico: Alberto Continentino. Guitarras: Pedro Sá. Bateria, voz, percussão: Domenico Lancellotti. Gravação e mixagem: Igor Ferreira – estúdio jimo/RJ. Instrumento sonoro: Michel Groisman. Máscaras: Marina Vergara. Designer gráfico: Roberto Unterladstaetter. Fotos e imagem olho/cinema: Renato Mangolin. Poesia do leite: Christophe Tarkos. Operação de luz: Jon Thomaz. Sonoplastia: Thiago Tafuri. Confecção figurino: Lúcia Lima. Cenotécnico: Edvaldo Custódio. Contra regra: Mickael Veloso.Assessoria de imprensa: Daniella Cavalcanti. Realização: Casulo produções

OFICINA

05 a 06 de setembro

CORPOS MADUROS

05 e 06 de setembro- 10h às 12h

Esta oficina é destinada à investigação do corpo e do tempo. Revisitar, recontar e produzir novas formas de comunicação através da troca de experiências de estruturas físicas maduras, criando jogos dançantes e narrativos com o uso da voz, corpo e espaço. Um diálogo entre potências e fragilidades…

Público alvo: terceira idade

CONVERSAS PÚBLICAS

05 de setembro àS 20H- Sofá da Cacilda– No útlimo Sofá da Cacilda faremos uma balanço da nossa ocupação, discutiremos sobre o processo e teremos muitas surpresas também.

 

Monica da Costa e Rodrigo Rivera estarão na ocupação do Dança Pra Cacilda de de 1° a 5 de agosto, sick fazendo parte do projeto “Novíssimos”

Rodrigo Rivera apresenta o espetáculo “Número 5” e, salve na sequencia, Monica da Costa mostra “Corpo D’água”.

Desde abril, o projeto de ocupação artística Dança pra Cacilda vem abrindo oportunidades para os novíssimos criadores das artes cênicas do Rio. O programa é composto por estudantes universitários, coletivos e grupos em fase de profissionalização.

O trabalho do coreógrafo e bailarino Rodrigo Rivera busca a fragmentação do corpo e do movimento de forma a envolver a energia e potencialidade que surgem do intimo de uma respiração. Em “Número5”,  o artista procura mostrar através da performance que se perder pode ser a oportunidade de achar seu próprio caminho.

Rodrigo Rivera é graduando do curso de Bacharelado em Dança pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ, e integrante da Cia Universo Paralelo – Núcleo de Pesquisa em Dança contemporânea da UFRJ.

 Mônica da Costa se apresenta em “Corpo D’agua”, um espetáculo de dança afro-contemporânea, que se inspira na água como universo poético e mítico. É água enquanto elemento que toma corpo e corpo que se torna elemento.

Monica da Costa foi graduanda em Dança pela UFRJ e é Doutoranda em Artes Cênicas na UNIRIO. Desde 2008 vem construindo trabalho autoral com pesquisa de Danças e Performances de motriz africana e afro-brasileira, em parceria com o Diretor de Teatro Renato Santos. Corpo Dágua foi o primeiro trabalho autoral, criado em 2009, e remontado em 2010 em parceria com o musico Sergio Arriola.

Os espetáculos serão apresentados em sequência e as sessões acontecem sexta, dia 03, às 15h e às 20h; sábado, dia 04, às 20h e domingo, dia 05, às 19h.

A entrada é franca.

 

 

PROGRAMAÇÃO
De 1° a 5 de agosto

CONVERSAS PÚBLICAS

Políticas do Corpo: “Arte, Dança e Saúde”, com Paula Gorini, Carla Strachmann, Julio Vertzman, Teresa Taquechel e Beth Caetano
Dia: 1° de agosto (quarta-feira)
Horário: 20h
Entrada franca.

ESPETÁCULOS

Número 5
Concepção: Rodrigo Rivera
Duração: 13min.
Corpo D’agua

Concepção: Mônica da Costa
Duração: 35min.

Dias:
3 de agosto (sábado) às 15h e às 20h
4 de agosto (sábado), às 20h
5 de agosto (domingo), às 19h
Classificação etária: livre

Entrada Franca
O Projeto Cênica Corporal UMA  estará no Rio de Janeiro entre os dias 08 e 12 de agosto, visit this com uma agenda intensa de bate papos, mind performances e oficinas!

A oficina CONVIVÊNCIAS  propõe um espaço onde será alimentado a experiência do conviver entre pessoas de diferentes fisicalidades e conhecimentos.  A ideia é o encontro entre os colaboradores do Projeto Circular, a comunidade artística e o público em geral, das cidades de Belém, São Paulo, Rio de Janeiro e Porto alegre, no período de permanência, nessas cidades, da equipe do Projeto.

Na segunda semana de agosto eles estarão no Rio de Janeiro.Venham participar deste intensivo regime de oficina, que trará influências do Norte do nosso país, a experiência de ser um projeto de circulação e a facilidade de acesso ao cariocas, pois será ministrada bem no Largo do Machado, no Tetaro Cacilda Becker!!

A convivência será baseada na Pesquisa Cênica Corporal Uma, que é uma síntese de estudos e experimentações que o artista independente Francisco Rider vem desenvolvendo nos últimos vinte e seis anos, em busca de uma linguagem cênica contemporânea que atravesse elementos da performance art, improvisação como uma arte de performance, teatro físico, abordagens somáticas, práticas corporais alternativas, com uma visão holística do ser artista humano.

Tem como referencial teórico e prático: o contact improvisation, o teatro físico, a improvisação, o movimento autêntico e a dança pós-moderna norte-americana; e as abordagens somáticas: Yoga, Body-Mind Centering e Klein Technique.

A proposta é despertar o corpo artista para redescobrir a sua totalidade, e desestabilizar as dicotomias corpo/mente; feio/bonito; ativo/passivo; sujeito/objeto, entre outras.

Em 2007 a pesquisa foi premiada com o Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2007, e foi desenvolvida, em forma de oficina de processos criativos, na cidade de Manaus durante sete meses, com encontros diários.

A oficina teve como participantes os intérpretes criadores Agnaldo Martins e Damares Darc, entre outros, selecionados, a nível nacional, para participarem da residência artística Colaboratório 2010, organizada pelo Panorama Rio de Dança e Núcleo do Dirceu.

Além desses resultados, o Projeto Uma foi aplicado em forma de oficinas e workshops em festivais e espaços de dança e teatro como Célia Gouvêa Grupo de Dança (SP), Espaço de Dança Patrícia Awapara (Lima-Perú), Teatro Experimental do Sesc dirigido pelo escritor e dramaturgo Márcio Souza (Manaus-Am), Espaço Alternativo Pombal (Manaus-Am), Festival Internacional da Nueva Danza (Lima-Perú) e III Festival de Teatro da Amazônia (Manaus-Am).

Público alvo: artistas visuais, atores, cantores, dançarinos de dança de rua, intérpretes das artes cênicas, performers e público em geral interessados em experimentação e investigação artística .

Mínimo um ano de experiência em qualquer linguagem artística e maiores de 16 anos.

Capacidade: máximo vinte pessoas

Horários:

Dias 08, 09 e 10 de agosto, Horário: 10h30 às 13h

Dias 11 e 12 de agosto, Horário: 14h30 às 17h

A oficina é GRATUITA!

Local: Teatro Cacilda Becker. Rua do Catete, 338 (ao final da galeria)

INSCRIÇÕES:

Basta mandar uma email para Ana Bastos: formacao.cacilda@panoramafestival.com

Inscrições até dia 05 de agosto!!!

Não percam essa oportunidade!!!

 

 

 Como parte do programa “Novíssimos”, find as jovens coreógrafas encenam espetáculos gratuitos no Dança pra Cacilda, ambulance de 29 de agosto a 2 de setembro

 Desde abril, ed o projeto de ocupação artística Dança pra Cacilda vem abrindo oportunidade para os jovens criadores das artes cênicas montarem seus espetáculos no Teatro Cacilda Becker, dentro do programa “Novíssimos”. De 31 de agosto a 2 de setembro, será a vez das bailarinas e coreógrafas Luisa Coser e Paula Pi apresentarem ao público do Rio suas criações. A programação prevê ainda duas aulas abertas com professoras da UFRJ e uma palestra com o coordenador de Dança da Funarte. A entrada é franca.

Todas as atividades são oferecidas no próprio teatro!

Na quarta-feira, 29 de agosto, às 10h30, as professoras Patrícia Pereira, Inês Galvão e Lara Seidler, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), vão ministrar uma aula aberta sobre técnicas de improvisação. A oficina, voltada para artistas, estudantes e interessados em dança de forma geral, tem como proposta despertar os participantes para as sensações, imagens e gestos do corpo. A entrada será franca.

Também no dia 29, às 20h, o coordenador de Dança da Funarte, Fabiano Carneiro, participará de uma palestra gratuita sobre o mercado de trabalho e as oportunidades para a dança profissional no Brasil. O encontro acontecerá dentro do “Políticas do Corpo”, espaço para pensar a relação entre as artes do corpo e a cidade, no programa “Conversas Públicas”. No dia 30 de agosto, das 10h30 às 13h, o professor Sergio Andrade, da UFRJ, oferecerá a segunda aula aberta do programa sobre: Mecanismos de pre-inscrição para uma brisura.

De 31 de agosto a 2 de setembro, o projeto abre espaço para dois espetáculos de jovens coreógrafas.

Luisa Coser vai apresentar “Diga-se de passagem”, que explora a ideia de apropriação de um território.

Como peças de um tabuleiro, a bailarina dá início a um jogo, com regras e movimentos estabelecidos sobre um terreno limitado.

Luisa Coser é bailarina, coreógrafa, pesquisadora em dança, formada pela Escola de Dança Angel Viana. Foi intérprete do Grupo Coreográfico dirigido por Christian Bourigault em Paris. Suaúltima performance, Um sacofoi apresentada em diversos festivais na França.

 

A musicista, atriz, bailarina e coreógrafa Paula Pi montará  o “Opus 2 – Notas sobre minha mãe isso e aquilo”.

O espetáculo solo fala da relação mãe e filha. Criado a partir de vivências pessoais da dançarina, a coreografia aborda o tema a partir da relação da intérprete com o violino e com elementos do universo musical, que vivencia desde os seis anos de idade.

Paula Pi é graduada em música erudita pela UNICAMP e mestranda em Dança na mesma instituição. Desde 2008, cria seus próprios trabalhos cênicos. Esta obra é fruto de uma parceria entre ela e Clarissa Sacchelli.

 

Os dois espetáculos serão apresentados em sequência e as sessões acontecerão sexta, dia 31, às 15h e às 20h; sábado, dia 1º de setembro, às 20h e domingo, dia 2, às 19h. A entrada é franca.

PROGRAMAÇÃO
De 29 de agosto a 2 de setembro

CONVERSAS PÚBLICAS
Políticas do Corpo: “Mercado de trabalho e oportunidades para a dança profissional no Brasil”, com Fabiano Carneiro e convidados.
Dia: 29 de agosto (quarta-feira)
Horário: 20h
Entrada franca.

AULAS ABERTAS
Na quarta-feira, 29 de agosto, das 10h30 às 13h: professoras Patrícia Pereira, Inês Galvão e Lara Seidler, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), vão ministrar uma aula aberta sobre técnicas de improvisação. No dia Na quinta-feira, 30 de agosto, das 10h30 às 13h: o professor Sergio Andrade, da UFRJ aula sobre Mecanismos de pre-inscrição para uma brisura

ESPETÁCULOS
Diga-se de passagem
Concepção e execução: Luisa Coser
Duração: 25min
Classificação etária: 12 anos
Sexta, 31 de agosto, às 15h e às 20h
Sábado, 1º de setembro, às 20h
Domingo, 2 de setembro, às 19h
Entrada Franca
Opus 2- Notas sobre minha mãe isso e aquilo
Concepção e execução: Paula Pi
Duração: 35min.
Classificação etária: Livre
Sexta, 31 de agosto, às 15h e às 20h
Sábado, 1º de setembro, às 20h
Domingo, 2 de setembro, às 19h
Entrada Franca

 
DANÇA PARA CACILDA
Ocupação artística do Teatro Funarte Cacilda Becker
Endereço: Rua do Catete, 338 – Catete.
Tel.: (21) 2265 9933
Capacidade do teatro: 150 lugares
Direção artística: Nayse Lopez
Direção executiva: Eduardo Bonito
Direção de produção: Carla Lobo
Produção: Ton Dutra
Educativo/Formação de Público: Ana Bastos
Comunicação: Bia Paes
Site: http://cacilda.panoramafestival.com/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *