Sofá da Cacilda

Dia 29 de abril de 2012, stuff Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, approved assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, vialis 40mg a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educati

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

 

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, stuff Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, approved assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, vialis 40mg a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educati

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

 

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, sildenafil Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, stuff Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, approved assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, vialis 40mg a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educati

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

 

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, sildenafil Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, help Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, mind assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, hospital a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Dia 29 de abril de 2012, stuff Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, approved assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, vialis 40mg a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educati

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

 

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, sildenafil Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, help Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, mind assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, hospital a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, malady Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia”:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Dia 29 de abril de 2012, stuff Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, approved assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, vialis 40mg a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educati

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

 

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, sildenafil Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, help Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, mind assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, hospital a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Salve a dança e todos os dançantes!!!

Dia 29 de abril de 2012, malady Dia Internacional da Dança completa 30 anos de existência!

Em 1982 essa data foi criada pelo Conselho Internacional de Dança da Unesco com o objetivo de aumentar a atenção da importância da dança entre o público geral, assim como incentivar governos de todo o mundo a fornecerem melhores políticas públicas voltadas à dança.

No Brasil parece que este dia não surtiu muitos efeitos, a dança no país ainda permanece como  o “primo pobre” dos incentivos culturais. Vide a repercussão que tal data gera nas grandes mídias:nenhuma!

Neste aspecto, a ocupação artística Dança Pra Cacilda tem uma relevância simbólica e efetiva em meio a este cenário. A proposta de uma programação de 5 meses ininterruptos só com profissionais da dança em uma sala da FUNARTE é de importância substancial. O Cacilda Becker de abril a setembro é um reduto de resistência para aqueles que fazem, pensam, produzem e consomem dança na cidade do Rio de janeiro!

Além de oferecer espetáculos a preços populares, a ocupação e os artistas  residentes de cada semana promovem sessões educativas  e oficinas gratuitas, debates, enfim compõem uma programação que permite um maior estreitamento dos laços entre a dança e seu público, bem como um intercâmbio artístico entre profissionais de todo o país.

No percorrer desses cinco meses, buscaremos não apenas apresentar novos espetáculos, artistas e linguagens, mas também formar um público para a dança e sensibilizar professores, mestres, estudiosos e profissionais da área para o potencial educativo desta arte. Queremos desfrutar da dança, mas também situá-la como uma área cultural em luta por espaço, reconhecimento e incentivo.

Por isso queremos deixar um recado: A ocupação Dança pra Cacilda é para ser ocupada!!! Compareçam, vamos encher esse espaço, participar dessa vitória da dança! Pedimos que nos ajudem a divulgar nossas atividades, a participar dos debates de quarta noite, das oficinas matinais das quartas quintas, das sessões educativas de sexta feira e dos espetáculos dos fim de semana!

Seria com muito prazer que hoje, no Dia Internacional da Dança, nossa ocupação apresentaria um evento na rua, ao ar livre, para que todos pudessem nos ver e saber que não deixamos esse dia passar a brancas nuvens.

Kleber Lourenço, nosso artista residente da semana, iria nos presentar com sua performance “Estar aqui ou ali?” nas ruas do Largo do Machado, se não fossem os caprichos de São Pedro que deixaram os céus instáveis por aqui.

De toda forma, os que compareceram à concentração foram contemplados com a reapresentação gratuita do espetáculo Jandira!

Deixamos aqui nossa contribuição para o dia de hoje e o “pensamento do dia”:

“Igreja diz: o corpo é uma culpa. A Ciência diz: o corpo é uma máquina. A publicidade diz: o corpo é um negócio. E o corpo diz: eu sou uma festa. – Eduardo Galeano”

Toda quarta feira , cost como de costume, order a noite do Dança Pra Cacilda é dedicada às discussões pertinentes aos trabalhos que nossos residentes da semana trazem para a ocupação!

Na segunda semana de Ricardo Marinelli, dia 09 de maio, às 20hrs, teremos mais uma noite de Políticas do Corpo.

As duas obras que nosso residente mostrou até agora, permeiam questões como sexualidade, transexualidade, corpo e ocupação do espaço público. Agora ele nos convida a discutir mais profundamente tais expressões, bem como seus usos e apropriações.

Ele traz a  Mesa performática bizarra: corpo, politicidade e performance, para o Políticas do Corpo do Dança Pra Cacilda.

A idéia é que as falas, para além de palestras, caracterizem uma fala performativa. Como fala performativa entendemos uma ação que alia a apresentação de conceitos, posições políticas e/ou contextualizações históricas com uma atitude contextual performativa.
Algumas questões que serão apresentadas e debatidas nas mesas:

Relações que podem se estabelecer entre obras de arte e a defesa da livre orientação sexual, revelando possíveis conexões entre militância social e produção artística;

Discussão do potencial problematizador da arte no combate às opressões sexuais;

Relações entre corpo, padrões de beleza e atitude performática;

A preocupante onda de renovação do conservadorismo na arte brasileira;

Arte e contravenção na história;

Desafios para o ensino em artes performáticas no combate ao heterossexismo e a homofobia;

Possíveis transgressões dos padrões heteronormativos das/nas práticas corporais através da dança, do teatro e da performance.
Com Ricardo Marinelli,  e uma transexual do movimento trans (a confirmar).

Serviço:

Local: Teatro Cacilda Becker. Rua do Catete 338.

Data: 09 de maio de 2012

Horário: 20hrs

ATIVIDADE GRATUITA!
O Sofá da Cacilda é um bate papo entre grupos de estudo, check coletivos e outros convidados que falam sobre urbanismo, políticas culturais, história e outros assuntos da vida da cidade.

O Dança Pra Cacilda oferece uma noite aconchegante, o sofá, chá e biscoitos, e os grupos e público nos presenteiam com ideias e boas discussões e encontros.

São sempre às 20hrs nas quartas feiras!

08 de agosto- Conversa mediada por Nayse Lopez e Eduardo Bonito, em colaboração com a equipe do Projeto Circular, sobre o processo de construção da obra Figuras Transitórias / Figuras Caminhantes e a relação entre arte/ social/política/visibilidade/invisibilidade social.

05 de setembro-  No útlimo Sofá da Cacilda faremos uma balanço da nossa ocupação, discutiremos sobre o processo e teremos muitas surpresas também.

Sessões anteriores:

Dia 27 de junho– Discussão sobre o atual contexto do Mercado para a dança no Brasil com Diana de Rose, da Secretaria de Municipal de Cultura do Rio de Janeiro; e a dançarina, curadora Flávia Meirelles.

Flavia Meireles é  Artista, pesquisadora e professora, mestranda em Artes Visuais na EBA/UFRJ, estudou Economia (IE/UFRJ) e dança na Faculdade Angel Vianna. Desenvolve seus projetos entre os campos da dança e das artes visuais.  Leciona na Faculdade e Escola Angel Vianna e produziu os eventos “Uma noite com Yvonne Rainer e amigos” (2009), ABI PENSA A DANÇA (2011), Práticas do comum (2011) e Ciclo de Encontros: a Dança Carioca no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro (2012). Como pesquisadora em dança atualmente coordena o projeto “Reestruturando Histórias da Dança” (Fundo e Apoio à Dança 2011).

Diana de Rose é Gerente de Dança da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro. Especialista em Gestão e Produção Cultural pela Fundação Getúlio Vargas, graduada em Dança pelo Centro Universitário da Cidade – UniverCidade. Foi assessora da Coordenação de Dança da Fundação Nacional de Artes, entre os anos de 2007 a 2011, tendo atuado anteriormente na produção de companhias, artistas e eventos de dança no Rio de Janeiro.

Dia 06 de junho– Conversa sobre a Dança Urbana Carioca e seus vários vocabulários, com Sonia Destri, Rodrigo Marçal, Dani Amorim e Paulo Azevedo.

Sonia Destri é formada em Psicologia pela UFRJ ,cursou a escola de Danças Clássicas da Fundação Teatro Guaira, em Curitiba e Teatro na CAL. começou seus estudos em danças clássicas aos 4 anos de idade e percorreu um longo caminho entre jazz,dança contemporânea,musical videoclip e teatro. Estudou com os mestres Suzana Braga ,Alto Lotulfo,Tatiana Leskova, Pina Bausch,Suzanne Link e Marvin Smith.

Em 2012 ,fez temporada no Espaco SESC com o trabalho NA PISTA e CHAPA QUENTE. Participou do Circuito Estadual das Artes e do projeto de Oficinas de Capacitação também com a Chancela da SEC RJ . Participou dos festivais Peak Performances em Nova Jersey , no Fall for Dance em NY e em Suresnes na Franca. Como convidada teve a experiencia de se apresentar com a Companhia Urbana de Danca para 1.000 jovens italianos em tratamento em dependência química.
Com ID ENTIDADES junto com a Companhia Urbana de Danca foi nomeada TOP 10 / melhores trabalhos apresentados em NY ano ano de 2010 pelo NY TIMES / TIME OUT .E sua trilha sonora , assinada por Rodrigo Marçal foi inidcada ao Premio Bessies em NY . Hoje assume a função de produtora , coreógrafa e diretora e educadora .

Rodrigo Marçal é produtor musical desde 1997.  Atuamente produz a trilha sonora do próximo espetáculo da Cia Dani Lima É socio-proprietario do Estudio Arp.XJá compôs trilhas sonoras para vários espetáculos de artes cênicas, cinema etelevisão. Entre os destaques estão “Gaivota “, dirigida por Enrique Diaz; “Noticias Cariocas”, “Auto-Peças”, ‘Devassa” e “Peças de Encaixar”, para a Cia dos Atores; “Still”, “Nada-Vamos Ver” e ” Eles Vão Ver”, da Gustavo Ciríaco Cia de Danca; “B612”, de Alex Neoral e Cia Focus de Dança; “H3”, de Bruno Beltrão e Grupo de Rua; “9+1(Id Entidades)” , ” Chapa Quente” e ” Na Pista” de Sonia Destri e Cia Urbana de Dança; “Por Uma Vida Um Pouco Menos Ordinária”, “Medida Por Medida” e “Nenhum Dia Se Passa Sem Notícias Suas”, de Gilberto Gawronski; “André”, “O Livro”, ” Corte Seco” e “Julia”, de Christiane

Jatahy; “Acqua Toffana”, ‘Fim De Partida” e “Fitzjam”, de Pedro Brício; “Regurgitofagia” e ‘Dinheiro Grátis”, de Michel Melamed; ” A Ratoeira”, de João Fonseca; “Glass” e ‘Desabotoa Minha Gola” de Haroldo Rêgo; “A Maquina De Abraçar” e “A Noite De Molly Bloom”, de Malu Galli; “Ninguém Falou Que Seria Fácil”, de Felipe Rocha; “Encontro/Desencontro”, Video- Instalação de Ivens Machado exibida no Oi Futuro Flamengo; “Pé de Quê?”, para o Canal Futura; “Esta Estória Dava Um Filme”, para o canal Multishow; além de toda a identidade sonora atual do canal GNT; e os longa-metragens ” Cidadão Boilesen”, “Ressaca”, “A Falta Que Nos Move” e “Um Romance de Geração”.

Daniela Amorim é atriz, diretora de teatro e preparadora corporal.É criadora e diretora, junto com Joelson Gusson, do Projeto_ENTRE, um programa de Curadoria, Gestão, e Política Cultural em artes contemporâneas, atualmente em exercício no ECM Sérgio Porto e em desenvolvimento para o Teatro Armando Gonzaga. Foi curadora e coordenadora artística do Projeto Operação Orquestra Improviso de residência artística, com os coletivos Pequena Orquestra e Coletivo Improviso, no Teatro Gláucio Gil, Rio de Janeiro (out/08 a fev/09).

Formada em Artes Cênicas, Habilitação Teoria do Teatro, pela UNIRIO. É editora do site @dramaturgia e colaboradora no site Fórum de Literatura e Teatro.

Paulo Azevedo é Professor doutorando em ciencias sociais tendo como base de suas investigações o corpo como dispositivo político, suas relações na cena, no território urbano, com a diversidade. Recebeu diversos prêmios, sendo o único contemplado em todo o Estado do Rio, na 2ª edição do programa Rumos Educação, Cultura e Arte promovido pelo Instituto Itau Cultural.

 

Dia 23 de maio, Alice Ripoll, o arquiteto Pedro Rivera , e o artista e fundador do coletivo Brecha, Patrick Sampaio, falam sobre o trânsito cultural nas cidades.

Patrick Sampaio é artista multidisciplinar e pesquisador da cena contemporânea com ênfase em estéticas colaborativas. É idealizador e integrante do Brecha Coletivo, com o qual criou e coordena o festival “Junto: Práticas de Proximidade”, além de um projeto de interferências urbanas (que contém as ações “DESACELERE”, “VENDO” e “RE-MOVA”) e um laboratório aberto para treinamento de técnicas de movimento e interação cênica. É também um dos fundadores e atual presidente da Projéteis, uma cooperativa de artistas e realizadores criativos.

Pedro Rivera é direto rdo StudioX Rio, uma articulação internacional chamada StudioX Global Network Initiative . Mestre em Design Urbano e formado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é professor da PUC-Rio e sócio da RUA Arquitetos.

 

Dia 02 de maio–  Ricardo Marinelli, o empresário cultural Léo Feijo e convidados falam sobre geografias culturais de suas cidades e processos de revitalização cultural.

Leo Feijó é jornalista e empreendedor com experiência de 15 anos no campo da Cultura, do Associativismo e no Desenvolvimento Microrregional na cidade do Rio de Janeiro. É consultor do Instituto Gênesis da PUC-Rio e professor da ESPM.Foi responsável pela abertura de mais de 10 empreendimentos, como Teatro Odisseia, Casa da Matriz e Cinematheque. É autor do projeto de reabertura do Cine Paissandu como espaço multiuso. Na esfera pública, gerenciou a Incubadora Rio Criativo, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio; co-produziu o Seminário Internacional do Bar Tradicional com a Subsecretaria Municipal de Patrimônio Cultural; fundou o Polobotafogo, primeiro polo de cultura e gastronomia da cidade, em parceria com o Sebrae e a Prefeitura do Rio; é coordenador do Distrito Criativo do Flamengo e arredores, projeto apoiado pela Secretaria Municipal de Cultura.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *